Origem do Arroz Doce

Origem do Arroz DocePodemos comer arroz doce nos quatro  cantos do mundo, mas não há recanto em Portugal onde não se faça este  doce, tão típico quanto diferente, dependendo de quem o prepara.

Desde o século VI a.C. que há registos de arroz cozido em leite com  açúcar. A chegada da cana-de-açúcar da Índia ao Médio Oriente, onde já  se cultivava o arroz, marca a origem desta especialidade que perdurou  até aos nossos dias.

É possível imaginar que, muito antes, estes alimentos coexistiam na  Índia e que, inclusivamente na Ásia, substituído o leite de origem  animal pelo leite de coco, este doce era saboreado desde os tempos mais remotos.

Posteriormente, a fama do arroz doce espalhou-se rapidamente por toda a  Europa e a cor dourada que o melaço lhe conferia passou ao branco  característico, já no século XIII, quando se começou a utilizar açúcar  refinado. O século XVIII marca o momento do baptismo desta sobremesa,  que revela todo o seu encanto em todos os livros de receitas europeus.

Durante os últimos vinte e seis séculos, o arroz cozido em leite com açúcar conservou praticamente intacta a sua essência original.

A sobremesa de arroz doce em Portugal reflecte esse desejo de manter vivas as doces tradições ancestrais. Servi-lo no final do almoço de  domingo, ou em qualquer acontecimento digno de celebração, significa  venerar um costume antigo e honrar os dias festivos.

As inúmeras referências revelam esta aliança do arroz doce e determinadas datas do calendário.

Sirva de exemplo o Natal que, nas aldeias e cidades portuguesas, é muito  acarinhado nas suas tradições, convertendo a gastronomia no eixo central sobre o qual gira a celebração. Deste modo, e antes de se ir à popular Missa do Galo, não falta o prato de arroz doce e os doces  conventuais que são com frequência servidos após um vistoso bacalhau  cozido.

Outro momento em que o arroz doce aparece é em muitas bodas portuguesas.  Trata-se não só da sobremesa principal da ocasião, como é típico a  família dos noivos oferecer arroz doce aos seus convidados uns dias  antes da cerimónia. Actualmente, subsiste o mito de que a quantidade de  arroz doce com que se recebe os convidados é proporcional ao grau de  parentesco.

Desde o aroma que lhe é oferecido pela canela, passando pelo toque  subtil que a casca de limão lhe dá, e terminando na porosidade que o ovo   lhe confere, o arroz doce português admite, na sua preparação, pequenas  variantes que permitem personalizá-lo e torná-lo único em cada mesa.

Fonte: novarroz.pt

Deixe um comentário